Partindo para o Uruguai - Preparação - Parte 1


Olá, se você está por aqui é porque tem interesse em viagens de motocicleta.

Um dos prazeres que descobri após conseguir minha habilitação foi o de viajar de moto. E, após fazer algumas viagens de teste a cidades próximas do Rio de Janeiro (onde moro), resolvi me aventurar pela América do Sul.

Acredito que a primeira etapa ao pensar em fazer uma viagem dessas é planejá-la e compreender que nem sempre o planejamento será seguido à risca e diversos motivos podem fazer o viajante alterar seus planos: um lugar interessante que nem estava na rota da viagem e que acaba sendo descoberto por acaso, problemas com a moto (sim, eles acontecem), ou simplesmente o desejo de permanecer um pouco mais de tempo em um dos pontos visitados. Mesmo assim é bom ter um roteiro de viagem antes de começar.

Quando decidi fazer uma viagem para o Uruguai eu já tinha três anos de experiência dirigindo motocicleta e viajado para cidades próximas, como Petrópolis, Paracambi e Mendes, no Rio de Janeiro. A experiência visitando essas cidades foi ótima, mas o teste de fato sobre as condições de fazer uma viagem mais longa vieram após uma viagem curta que fiz à Juiz de Fora. Foi na estrada que leva à JF que verifiquei o quão prazerosa e perigosa pode ser esse tipo de aventura, e ao mesmo tempo me permitiu planejar melhor o meu trajeto ao Uruguai. Recomendo a todos que se aventuram na estrada a fazer isso: pilotar até uma cidade próxima, em outro Estado (em outra postagem comentarei como foi essa viagem a JF).

Antes de começar a me aventurar pelas estradas do Brasil e do exterior resolvi procurar informações sobre como fazer isso através de sites, blogs e vídeos do YouTube. É sempre recomedável coletar o máximo de informações sobre os cuidados com a moto e os locais por onde se deseja passar. E diversos motociclistas ajudam nessa tarefa. Há inúmeros relatos de viagens realizadas tanto no Brasil quanto no exterior. Em particular eu recomendo a leitura deste blog Blog do Victor Pereira. Algumas informações estão desatualizadas, mas me ajudaram muito.

Após esta breve introdução, vamos ao que interessa. Meu primeiro passo foi criar uma planilha com duas abas: uma com todos os pontos que desejava conhecer e outra com aquilo que precisaria providenciar para fazer uma viagem tranquila (manutenção de moto, documentos, etc).

De antemão já digo que esta viagem teria originalmente 45 dias e eu planejei visitar quatro países: Uruguai, Argentina, Chile e Paraguai, porém o atraso na emissão de um documento de identidade me fez mudar meus planos.

Bem, inicialmente foi preciso verificar todos os documentos necessários à entrada dos brasileiros nos países que se deseja visitar. Se o país visitado faz parte do Mercosul isto não é um entrave, pois a entrada nestes países pode ser feita somente com a carteira de identidade brasileira.

Pesquisar as informações nas embaixadas foi o primeiro passo e elas estão muito bem apresentadas lá. O site da Embaixada do Uruguai (http://www.emburuguai.org.br/) apresenta toda a documentação necessária a entrar naquele país. Inclusive com uma seção "Viagem de Carro e de moto".

Documentos necessários para entrar no Uruguai
Documentos necessário para entrar no Uruguai (acessado em 1º de outubro de 2020)


Muita gente passa batido pelo imposto necessário, o Carta Verde, que pode ser feito por várias empresas de seguro-viagem e varia de acordo com a extensão da viagem. Recomendo também fazer um seguro-viagem, pois em caso de imprevistos (principalmente viajando de moto) é necessário para obter atendimento médico no estrangeiro.

O passo seguinte foi criar uma tabela de viagem com o planejamento dela. Nesse ponto o Google Maps me ajudou bastante, pois permitiu que eu visualizasse a extensão do problema que enfrentaria. Eu tinha planejado fazer em média 600 km por dia, considerando que alguns dias poderia rodar um pouco mais, e outros, um pouco menos. É como fazer um pouco mais de uma viagem Rio-São Paulo por dia. E a vantagem do Google Maps é que ele permite calcular, não apenas a distância, mas nos dá uma noção de quanto tempo levará cada trecho. E isto é fundamental para a viagem, porque é necessário parar e descansar. Para rodar esse trajeto sem cansar muito eu levei em média umas 8h por dia, já contando com paradas para alimentação e descanso.


Uma primeira olhada no mapa mostra o caminho que escolhi fazer, mas sempre é possível realizar alguns ajustes. O importante é perceber o tempo para chegar ao destino. Nesse caso, umas 30h, o que me daria uns quatro dias de viagem. Nada mau para uma viagem de moto.

A partir disto fiz minha planilha, adicionando paradas em locais que eu gostaria de conhecer, como Peruíbe, no litoral paulista:

Planejamento da Viagem de moto ao Uruguai

E com isso eu também consegui ter uma noção dos meus gastos totais. Planejei ficar hospedado em quartos ou apartamentos alugados pelo Aribnb ou pelo Booking porque meu objetivo não era ficar parado dentro do local de hospedagem, mas aproveitar os lugares novos que estava conhecendo. Com isso consegui economizar bastante e aproveitar as atrações das cidades.

A documentação pessoal foi algo que me trouxe alguma dor de cabeça. Meu passaporte estava vencido e com a carteira de motorista não é possível entrar nos países do Mercosul. Logo, fui ao Detran tirar uma nova identidade, o que se mostrou um suplício. O Detran atrasou a entrega da minha carteira duas vezes: uma porque, segundo eles, minha digital não tinha ficado "boa" e a segunda porque estava se aproximando o Natal e eles começaram a atrasar as entregas mesmo. Minha solução foi me dirigir à polícia Federal e retirar outro passaporte que, por incrível que pareça, saiu mais rápido que a nova identidade.

Na próxima postagem vou falar um pouco das ferramentas e acessórios para fazer uma viagem tranquila de moto.


Post a comment

0 Comments